Cesta básica fica mais cara e chega a R$ 363,38 em Natal

Compartilhe

Foto: Alex Régis

O Núcleo de Pesquisa do Procon (Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal) investigou e constatou que o preço médio da cesta básica na cidade, no mês de outubro, foi de R$ 363,38, após um aumento de R$ 4,71 em comparação ao mês anterior. Foram verificados preços em 23 estabelecimentos comerciais diferentes, das quatro regiões da cidade, nas quatro semanas do mês. Atacarejos, supermercados de bairros e redes de hipermercados foram consultados, ficando os atacarejos como melhor opção de compra, segundo o Procon.

No mês de outubro de 2021, os preços médios da cesta básica em Natal foram de R$ 343,86 nos atacarejos (acréscimo de R$ 4,65 em relação ao mês de setembro), R$ 365,17 nos supermercados de bairro (aumento de R$ 9,61) e R$ 381,25 nas grandes redes de hipermercados (redução de R$ 0,14).

Melhor opção

Segundo análise do Procon, os atacarejos são a melhor opção para os consumidores natalenses na compra da cesta básica, isso porque há uma economia de R$ 21,31, em comparação ao supermercado de bairro e de R$ 37,24 quando a comparação é com o hipermercado. O preço do atacarejo, quando ainda comparado à média de preços dos três segmentos, é R$ 19,52 mais barato.

Comportamento dos preços

De acordo com o Procon, a cesta básica no mês de outubro segue tendência observada nos últimos meses de aumento, no entanto a pesquisa mostra um comportamento já observado em outros meses, que, em determinados estabelecimentos do segmento de hipermercados, os preços estão atrativos ao consumidor, chegando a ser os mais baratos dentre os estabelecimentos do segmento pesquisado.

Os preços são analisados pela média, tanto nos segmentos como nas categorias. Então, quando comparados os preços dos quarenta itens pesquisados no mês de outubro em relação ao mês de setembro, todas as quatro categorias tiveram variação positiva, sendo mercearia com 2,85%, açougue com 0,60%, higiene/limpeza com 3,18% e hortifrúti, com 1,36%. Dentre os produtos em si, os destaques de variações vão para produtos de açougue e hortifrúti: carne de segunda (-6,20%), tomate kg (-11,81%), cebola kg (+17,95%) e alface unid. (+12,07%).

Compra semanal

O Procon Natal orienta os consumidores natalenses a fazerem suas compras semanalmente, devido ao cenário atual da economia. “Mesmo com preços de alimentos em alta, o consumidor tem mais opções de planejar suas compras”, comentou na pesquisa divulgada.

“O consumidor encontrará preços mais baratos, indo semanalmente ao mercado, isso é possível aproveitando as ofertas sempre disponíveis em dias específicos, conseguindo preços melhores, e isso representa uma boa economia no final do mês. Também fracionando na quantidade, indo toda semana é mais fácil saber o que está faltando em casa e o que precisa comprar, evitando assim desperdício. Então para quem tem o hábito de comprar e prefere fazer suas compras mensais, tente ir ao mercado na segunda quinzena do mês, mais ou menos, dez dias antes do final do mês, como esse é um período de baixa procura, os alimentos tendem a estar mais baratos e com promoções nos estabelecimentos”, explica o órgão.

Pesquisa do próprio consumidor

O Procon divulga seu site www.natal.rn.gov.br/procon/pesquisa para que o próprio consumidor possa buscar as informações que têm mais a ver com a sua realidade. No link, é possível ter acesso aos preços médios de cada segmento, a variação de um mês para o outro e os preços médios das categorias pesquisadas (mercearia, açougue, higiene/limpeza e hortifrúti), que compõem os quarenta produtos pesquisados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *